quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Vanessa Paradis


Vanessa Chantal Paradis se tornou uma das cantoras mais conhecidas de sua geração aos 14 anos com seu primeiro single, "Joe le taxi" (que originou depois a música "Vou de Táxi", da cantora Angélica), e desde então leva uma carreira consistente na música e no cinema.
Ela é sobrinha do ator e produtor Didier Pain e irmã da atriz Alysson Paradis.
De maio de 1998 até junho de 2012 , esteve em um relacionamento com o ator americano Johnny Depp, pai de seus dois filhos. Ela fez sua primeira aparição televisiva no dia 3 de maio de 1981 no programa da televisão francesa L'école des fans, que dá às crianças a oportunidade de se apresentarem artisticamente. Ela cantou a música "Émilie Jolie".
A carreira de Vanessa Paradis começa de fato em abril de 1987, com a música "Joe le taxi". Aos 14 anos, ela fica em primeiro lugar da parada francesa por 11 semanas (mais de um milhão de vendas) e conhece o sucesso no exterior: primeiro lugar na Bélgica por 13 semanas, no Canadá durante 8 semanas, na Suíça e em Israel , assim como na Inglaterra (o que não acontecia com uma música francesa desde "Je t'aime… moi non plus" de Serge Gainsbourg e Jane Birkin, em 1969). O single foi lançado em todos os continentes e foi comercializado nos Estados Unidos em março de 1989. Vanessa também gravou uma versão em espanhol ("Joe el taxi"). No Brasil, a canção fez sucesso na voz de Angélica), que fez uma versão em português ("Vou de Táxi"). O sucesso do single veio acompanhado de uma grande onda de rejeição por parte do público francês em relação a Vanessa .
Após 2 meses de divulgação no exterior, em dezembro de 1987 saiu o seu segundo single, "Manolo Manolete". Apesar das boas vendas, a música foi muito criticada pelo seu tema polêmico: a tourada.

1988-1994 : Os primeiros álbuns Em 1988, sai seu primeiro álbum, M & J . 4 singles são lançados: "Marilyn & John" (que ganha uma versão em português com a cantora Angélica, chamada "Passageiro do amor"), "Maxou", "Coupe coupe" e "Mosquito". Graças ao sucesso de "Joe le taxi", ele se beneficia de um lançamento mundial, mas faz sucesso apenas na França

1989 : O primeiro filme



Em 1989, Vanessa Paradis, com 16 anos, grava seu primeiro filme, Boda Branca, onde ela aparece nua. Ela faz Mathilde, uma colegial perdida e marginalizada que vive uma paixão destrutiva com seu professor de filosofia.


2000-2001 : Novo álbum e retorno aos palcos 

Após anos se dedicando apenas ao cinema e o nascimento de sua filha, a cantora lança em outubro de 2000 seu quarto álbum, Bliss . Pela primeira vez, um álbum seu tem vários compositores. "Commando", o primeiro single só alcança a 43º posição da parada francesa. Os singles "Pourtant" e "Que fait la vie?" também são enviados às rádios, mas não são comercializados. Ela começa uma segunda turnê a partir de março de 2001

2007-2008 : Divinidylle



Vanessa durante a Divinidylle Tour em 2007.
Após o nascimento de seu filho e o lançamento de vários filmes, sai em setembro de 2007 um novo ábum, Divinidylle. Esse 5º disco é quase inteiramente composto por Matthieu Chedid, mas também pela própria Vanessa, entre outros. 3 singles são lançados ("Divine idylle", "Dès que j'te vois" e "L'incendie") fazendo do álbum um grande sucesso na França: nº 1 nas paradas francesas vendendo mais de 500 mil cópias. A capa do álbum é feita por Johnny Depp, assim como a direção do videoclipe de "L'incendie".

2004-2007 : Um retorno que não convence

Após ter duas crianças e fazer um álbum e uma turnê, Vanessa volta à cena no dia 21 de julho de 2004 com o filme Atomik Circus, dirigido pelos irmãos Poiraud, onde ela atua com Jason Flemyng e Jean-Pierre Marielle. Lançado em pleno verão francês e extenuado pela crítica, o filme é um fracasso e só consegue 239 000 espectadores.
Em 2004, ela grava também Meu anjo, o 1º filme de Serge Frydman (roterista de A mulher e o atirador de facas), onde ela contracena com Vincent Rottiers e Eduardo Noriega. Ele só permanece 3 semanas em cartaz conseguindo apenas 178 000 espectadores.


.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

A história de Level 42


O grupo se formou em 1981, seu principal gênero era a fusão de Jazz e Funk. Os irmãos Gould – Boon, o guitarrista e Phil, o baterista – uniram-se a Mark King, vocalista, e fizeram diversos shows na Ilha de Wight. Phil Gould, Mark King e Wally Badarou – que mais tarde seria um dos produtores e compositor da banda – fizeram parte da banda pop "M" que em 1979 teve uma canção número 1 nos Estados Unidos. Em 1979, Mark King apresentou Phil Gould a Mike Lindup, que passou a fazer algumas apresentações junto ao grupo tocando teclado. A banda precisava de um baixista, e Mark King assumiu o cargo, sem deixar de ser o vocalista principal. Em 1980 foram contratados pela Polydor Records e lançaram o single "Love Meeting Love", e mais tarde "Love Games" que chegou ao top 40 no Reino Unido. O primeiro álbum, homonimo ao nome da banda, foi lançado em 1981 e chegou ao top 20 dos mais vendidos no Reino Unido, também apresentou um bom número de vendas em outros países da Europa. Em 1982 lançaram os álbuns The Early Tapes – com as canções que antes eram apenas demonstrações, e mais tarde foram gravadas em estúdio – e The Pursuit of Accidents, com o top 30 "The Chinese Way". Em 1983 lançaram o álbum Standing in the Light, primeiro álbum top 10 no Reino Unido, com a canção top 10, "The Sun Goes Down (Living It Up)" que tinha Mike Lindup como vocalista principal, e ótimos arranjos de King. Mais tarde, em 1994 lançaram True Colours, que rendeu a primeira canção no Billboard Hot 100 dos Estados Unidos, "Hot Water".

Sucesso mundial

Era Polydor (1985-1989)

O sucesso da banda atravessou as fronteiras da Europa em 1985, quando foi lançado o álbum World Machine, bem recebido pelos fãs e crítica. O álbum tinha duas canções destaque: "Something About You" – sexto lugar no Reino Unido e sétimo lugar nos EUA, primeiro e único 'top 10' – e "Leaving Me Now", top 20 com um excelente desempenho de Mike Lindup. A banda quase acabou nesse mesmo ano por causa de desentendimentos entre Mark King e Phil Gould, mas os problemas foram resolvidos, e a banda continuou sua carreira para em 1987 lançar o mais famoso álbum de sua carreira: Running in the Family. Antes disso, em 1986, foi lançado o single Lessons In Love, terceiro lugar no Reino Unido, e bastante popular na América Latina. Running In The Family teve 4 canções 'top 10' no Reino Unido. Running in the Family veio com nostálgicos arranjos de King, e um ótimo trabalho vocal em combinação com Lindup. No final de 1987, os irmãos Phil e Boon Gould deixaram a banda, e alegaram que foi insatisfação com a gravadora. Eles nem mesmo gravaram o último videoclipe de Running in the Family: "Children Say". Para substituí-los entraram o guitarrista Alan Murphy, antigo guitarrista do grupo Go West e o baterista Gary Hisband. Em 1988 foi lançado o álbum Staring At The Sun, que apesar de ser considerado um fiasco pela crítica, chegou ao segundo lugar em vendas no Reino Unido e ao 'top 10' dos mais vendidos de toda a Europa além de entrar no Billboard 200, e foi muito bem recebido pelos fãs, apesar da mudança radical que ocorreu na estrutura da banda. Três singles foram lançados: "Heaven in My Hands", top 20, "Take a Look", top 40, e "Tracie", top 30. Em 1989, Alan Murphy morre vítima de HIV, e deixa o grupo sem um guitarrista por um período indeterminado. Em 1989 foi lançada a coletânea Level Best com a inédita "Take Care Of Youself", que foi lançada como single, e teve um video musical gravado que contou com King, Lindup e Husband. Em 1990, o Grupo deixou a Polydor Records e migrou para a RCA, onde começou um novo álbum, com um novo guitarrista.

Era RCA (1990-1994)

Em 1991, já pela RCA, a banda recruta o guitarrista Allan Holdsworth para a gravação do nono álbum, Guaranteed. Após a gravação, Holdsworth deixou a banda, e Jakko Jakszyk entrou para a turnê. O álbum Guaranteed teve boa recepção da parte dos fãs e da crítica: era o primeiro álbum que destacava solos de guitarra, alguns notáveis como "A Kinder Eye" e "She Can't Help Herself", e a canção principal de nome homônima ao título do álbum, alcançou o top 20 no Reino Unido. O álbum superou as expectativas dos musicos, e apesar da constante variação entre membros e a mudança de gravadora, chegou a ser o terceiro álbum mais vendido do Reino Unido. Em 1994, Phil Gould voltou à banda para gravar o álbum Forever Now, último álbum antes do fim da banda em 1994. O álbum não foi tão divulgado, a banda não lançava material novo há mais de três anos, e mesmo assim o álbum chegou ao 'top 10' no Reino Unido. O álbum era totalmente diferente do jazz-funk dos anos 80, e até mesmo do Rock do início da década de 1990. Forever Now trouxe canções mais calmas ao repertório da banda. Os três singles lançados: "Forever Now", "All Over You" e "Love In A Peaceful World" chegaram ao 'top 40' na Inglaterra. Em 1996, o álbum foi relançado em outra gravadora – Resugence – com algumas faixas inéditas. Phil Gould participou apenas da gravação do álbum, não aparece nos videoclipes, e fez pouquíssimas apresentações ao vivo. O grupo resolveu encerrar a atividade ao fim dos shows já agendados.

Anos recentes 

 

A partir de 1994, a banda foi desfragmentada. Mark King formou o "Grupo Mark King", e Lindup seguiu carreira solo. No ano de 2000, o antigo baterista Gary Husband, entrou para o Grupo Mark King. No ano de 2001, o Level 42 voltou a ativa com os músicos: Mark King, Gary Husband, Lyndon Connah - nos teclados - e o irmão de King, Nathan King na guitarra. Em 2006, Mike Lindup voltou definitivamente ao grupo, que lançou nesse mesmo ano, o álbum Retroglide, primeiro álbum inédito depois de uma década. O álbum conta com o solo de Boon Gould e Phil Gould na bateria da canção "Ship"(não creditado). Esta foi a primeira canção gravada com a participação da formação original desde 1986. Retroglide foi lançado apenas na Europa, pela gravadora W14, de posse da Universal Music Group, antiga Polydor Records. Há um novo projeto de álbum de estúdio para ser lançado no ano de 2008.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Campeões de vendas

Entre os discos mais vendidos do mundo, os que mais aparecem na lista são de artistas de música pop ou rock 'n' roll. Todos lançaram seus discos nos anos 70 ou 80.

O álbum mais vendido de todos os tempos é o Thriller, lançado pelo finado Michael Jackson  em 1982. O disco vendeu, naquele ano, 100 milhões de cópias , o cantor pop era o maior nome da música. 


Seguindo Michael, uma banda de rock australiana superou a marca dos 40 milhões de cópias vendidas no ano de 1980 e conquistou o lugar de segundo álbum mais vendido no mundo. Eles eram o AC/DC, com o disco Back in Black, e conquistaram fãs no mundo inteiro.
Respectivamente, três bandas de rock dos anos 70 levam o terceiro, quarto e quinto lugar.


 No ano de 1973 o Pink Floyd lançava seu disco mais influente,  Dark Side of the Moon. Com esse disco, venderam 45 milhões de cópias e tornaram-se uma das maiores bandas de rock do mundo. Em 1977, o Meat Loaf alcançava a marca de 43 milhões de álbuns vendidos, seguido pelos Eagles, que venderam 42 milhões de cópias de seu disco Their Greatest Hits (1971–1975).


O único filme a fazer parte da lista dos álbuns mais vendidos do mundo é Dirty Dancing, lançado em 1987. O disco também alcançou a marca das 42 milhões de cópias vendidas, alcançou o sexto lugar entre os mais vendidos; e trouxe para os anos 80 diversos hits do passado como a música Be My Baby, das Ronettes, grupo pop feminino dos anos 60. Também dos anos 80, a trilha do teatro musical O Fantasma da Ópera de Andrew Lloyd Webber vendeu 40 milhões de cópias e alcançou o sétimo lugar.
Os últimos dois grupos a chegarem à marca dos 40 milhões de álbuns vendidos foram os Bee Gees e Fleetwood Mac. O primeiro alcançava o oitavo lugar nos mais vendidos com o álbum Saturday Night Fever, de 1977. Já o segundo emplacava o álbum Rumours, deste mesmo ano, vendendo a mesma quantidade de cópias.
Seguem as outras bandas e artistas que mais venderam álbuns no mundo todo:
  • Led Zeppelin – Led Zeppelin IV – 1971 – Rock – 37 milhões.
  • Bee Gees – Spirits Having Flown – 1979 – Disco / Pop – 30 milhões.
  • Bruce Springsteen – Born in the U.S.A. – 1984 – Rock – 30 milhões
  • Dire Straits – Brothers in Arms – 1985 – Rock – 30 milhões.
  • Michael Jackson – Bad – 1987 – Pop / R&B – 30 milhões.
  • Pink Floyd – The Wall – 1979 – Progressive rock 28 milhões
  • Bon Jovi – Slippery When Wet – 1986 – Rock – 28 milhões.
  • Guns N’ Roses – Appetite for Destruction – 1987 – Rock – 28 milhões.

A história da banda Starship


A banda foi formada em 1965, no que foi posteriormente considerado o estouro da cena folk de São Francisco. O cantor Marty Balin reuniu-se com o músico folk Paul Kantner, o guitarrista de blues Jorma Kaukonen, a vocalista de jazz e folk Signe Toly Anderson, o baterista Jerry Peloquin e o baixista Bob Harvey. A inspiração do grupo eram bandas como The Beatles, The Byrds e The Lovin' Spoonful.
Sua primeira aparição pública foi em 13 de agosto de 1965, no clube The Matrix em São Francisco. Peloquin era um músico experiente, cuja rejeição ao uso de drogas por parte dos outros membros da banda acabou o tirando da banda logo algumas semanas após o início do grupo. Skip Spence então o substituiu na bateria. A banda gradualmente desenvolveu um som mais elétrico que levou à substituição de Harvey por um amigo de infância de Kaukonen, Jack Casady, em outubro de 1965. No mesmo ano assinaram com a RCA Victor e gravaram o álbum lançado no ano seguinte, Jefferson Airplane Takes Off, bastante inspirado pela música folk.
No ano seguinte Spence foi substituído pelo baterista de jazz Spencer Dryden, e Anderson deu lugar à cantora Grace Slick, anteriormente do grupo The Great Society, também de São Francisco. Slick trouxe à banda sua poderosa voz contralto, bem combinado coma música psicodélica do grupo, como evidenciado em canções como "White Rabbit" (de sua autoria) e "Somebody to Love" (autoria de Darby Slick, do The Great Society).
A transição para a notoriedade nacional começou com a aparição no Festival Pop de Monterey em junho de 1967. O festival levou bandas de diferentes cenas incluindo Nova Iorque, São Francisco, Los Angeles e Reino Unido, e a cobertura da televisão deu exposição internacional aos grupos. Tais bandas também participaram em diversos programas de televisão, como o The Ed Sullivan Show. A famosa aparição do Jefferson Airplane no programa televisivo de Ed Sullivan apresentando "White Rabbit" é notável pelo uso pioneiro do chroma key para simular a iluminação psicodélica das apresentações ao vivo da banda.
O grupo se manteve estável até 1970, tendo gravado mais cinco álbuns. O primeiro deles, Surrealistic Pillow (1967), incluía as canções clássicas "White Rabbit" (inspirada pela droga LSD, extremamente popular em São Francisco, em Bolero de Maurice Ravel e Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll) e "Somebody to Love". O nome do álbum foi sugerido por um dos produtores do álbum, Jerry Garcia, que mencionou que, de forma geral, o álbum era tão surrealista quanto um travesseiro. Garcia foi listado nos créditos do álbum como conselheiro espiritual.


Em 1984, Kantner (o último membro remanescente da fundação do Jefferson Airplane) deixou a banda, mas não antes de tomas ações legais sobre o nome Jefferson contra os outros membros da banda, que gostariam de continuar com o nome Jefferson Stairship. Kantner ganhou a ação, e o nome da banda teve que ser reduzido para apenas Starship, marcando sua terceira encarnação. Freiberg, que estava bastante marginalizado, deixou a banda da mesma maneira.
No ano seguinte o Starship lançou Knee Deep in the Hoopla, que contava com grandes hits de topo de parada como "We Built This City" e "Sara". Nenhuma outra canção do Jefferson Airplane ou Jefferson Stairship havia atingido o topo das paradas anteriormente. O álbum, que atingiu disco de platina, ainda lançou outros dois singles Tomorrow Doesn't Matter Tonight e Before I Go.
Em 1987, "Nothing's Gonna Stop Us Now" estava presente no filme Mannequin, apesar de somente Slick, Thomas e Chaquico aparecerem no longa. A canção, feita por Slick, a tornou a cantora mais idosa a cantar um topo de parada da Billboard, aos 47 anos. O recorde foi mantido até 1999, quando Cher estourou com "Believe" aos 53 anos. No ano seguinte, a canção "Wild Again" foi utilizada no filme Cocktail.
Na época do lançamento do álbum No Protection, o baixista Pete Sears deixou a banda, e em 1988 Grace Slick fez o mesmo. Ela estava descontente com a nova imagem pop do banda, jurando nunca mais se apresentar com eles novamente. A nova formação lançou Love Among the Cannibals em 1989, mas acabaram terminando o Starship no ano seguinte.
Em novembro de 2007, a canção "We Built this City" foi escolhida como a pior de todos os tempos pela revista de rock americana Blender.

Reuniões

As carreiras solo e participações em outras bandas se tornaram a rotina dos ex-integrantes. Em 1981, Marty Balin lançou um álbum solo homônimo, que contava com o hit "Hearts". Em contraste de seu rock revolucionário nos tempos do Jefferson Airplane, "Hearts" se mostrou um balada pop sem conteúdo.
Em 1985, após sua saída do Jefferson Starship, Paul Kantner se reuniu com Balin e Jack Casady para formar o KBC Band, lançando somente um álbum homônimo. A banda ainda contava com o tecladista Tim Gorman (que já havia tocado com o The Who) e o guitarrista Slick Aguilar (que já havia tocado com a banda de David Crosby).
Com a reunião de Kantner com Balin e Casady, a KBC Band abriu portas para uma reunião completa do Jefferson Airplane. Em 1989, durante uma apresentação solo em São Francisco, Paul Kantner se reuniu com Grace Slick e dois outros ex-membros do Airplane para uma rápida aparição. Isso levou a uma reunião formal da banda, contando com quase todos os membros originals, como Balin, mas sem Spencer Dryden. Um álbum homônimo foi lançado pela Columbia Records com vendas modestas. A turnê seguinte foi muito bem sucedida, mas a reunião durou pouco.
Atualmente existem duas versões do Jefferson Starship: uma oficialmente chamda Starship featuring Mickey Thomas, e o Jefferson Starship (também chamado Jefferson Starship: The Next Generation ou ainda Jefferson Starship-TNG) com Kantner e Balin como líderes, e Diana Mangano substituindo Grace Slick como cantora. Essa última banda se apresenta frequentemente em concertos. Um 2005, o baixista David Freiberg reuniu-se com o grupo para a turnê Jefferson Family Galactic Reunion, e continuou em turnê com a banda pelo ano seguinte. Mangano é uma vocalista bastante expressiva e eficiente, o que captura o espírito original do Airplane. A formação atual ainda conta com o ex-tecladista do The Grateful Dead Tom Constanten.
Jorma Kaukonen ainda se apresenta em turnês, frequentemente tocando por mais de cem apresentações acústicas solo por ano em casas noturnas dos Estados Unidos. Ocasinalmente Jack Casady o acompanha, se apresentando então sob o nome Hot Tuna.